Tânia Laranjo faz balanço do seu programa da CMTV: "É claramente jornalismo feito no fio da navalha"

Tânia Laranjo não tem dúvidas de que o sucesso do seu programa 'Doa a Quem Doer' se deve, essencialmente, ao sentido de urgência dos conteúdos.

Tânia Laranjo faz balanço do seu programa da CMTV: "É claramente jornalismo feito no fio da navalha"

Tânia Laranjo e Diana Cardoso dão a cara pelo icônico programa 'Doa a Quem Doer', da CMTV. "O balanço é positivo. É o programa sistematicamente mais visto no seu horário no cabo", assume a jornalista Tânia. "É uma experiência enriquecedora para mim, por um lado, como profissional, e depois é algo muito trabalhoso. E é ainda algo que as pessoas querem muito ver porque não havia antes."

Este programa, porém, tem um trabalho de bastidores complexo. "Há todo um trabalho semanal de investigação, fora o acompanhamento diário, que não descuramos, e que continuo a fazer. São programas feitos todas as semanas. Não estão preparados ou pré-feitos. São feitos em cima da atualidade", salienta a jornalista. "É claramente jornalismo feito no fio da navalha".

"Temos enormes responsabilidades, numa fronteira clara entre o interesse público e, por exemplo, o segredo de justiça. Tudo é sempre um bocado abstrato e também é por isso que é sempre no fio da navalha: É uma decisão ou individual do jornalista ou coletiva da equipa", explica.